Derrotar a repressão anticomunista do governo polonês! Um chamado à solidariedade

Introdução do Reagrupamento Revolucionário (agosto de 2018)

O ano de 2018 está exibindo uma escalada repressiva contra o pensamento de esquerda e os movimentos dos trabalhadores da Polônia por parte do Estado burguês e do governo do partido nacionalista e populista de direita, Prawo i Sprawiedliwość (PiS, “Lei e Justiça”). Desde o início do ano, militantes do Partido Comunista (historicamente pró-União Soviética) foram condenados em primeira instância pela lei que proíbe a manifestação de “ideologias totalitárias”. Em maio, os editores do site Władza Rad, simpatizantes da Tendência Marxista Internacional (IMT, representada no Brasil pela Esquerda Marxista/PSOL), foram visados pela polícia e material de informática que usam para manter o site foi apreendido. Logo em seguida, um evento comemorando o aniversário de 200 anos de Karl Marx em uma universidade foi invadido pela polícia.

Esses acontecimentos exigem a solidariedade de todos os socialistas contra essa onda de repressão, antes que ela cresça. Os processos envolvendo o Partido Comunista da Polônia e o Władza Rad ainda estão correndo na Justiça. Acima de tudo, são as demonstrações de solidariedade através das ações, dentro e fora da Polônia, que podem frear tal ofensiva. Acreditamos que a frente única dos movimentos e partidos da classe trabalhadora deve ser o método dessa luta, para impedir o isolamento dos grupos sob a mira do Estado capitalista. A ideia da frente única contra a repressão é que “Um ataque contra um, significa um ataque contra todos!”. A organização de um movimento como esse parece ser uma questão urgente na Polônia, diante da possibilidade de outros desrespeitos aos direitos democráticos.

Traduzimos para o português a declaração escrita pelos editores do Władza Rad e vamos divulga-la pelos meios digitais e impressos do nosso grupo com a intenção de dar conhecimento para o público brasileiro (especialmente de esquerda) sobre a repressão sofrida por esses camaradas de uma parte distante do planeta. Acreditamos que a luta dos trabalhadores pelo socialismo só pode vencer a nível internacional e com a mais livre discussão de ideias e, portanto, nos solidarizamos com todos aqueles na esquerda polonesa que estão sendo alvos da repressão capitaneada pelo PiS, cuja intenção é manter uma ordem de exploração e de opressão aos trabalhadores e minorias. Tal ordem só pode ser definitivamente derrotada pelos métodos da revolução socialista dos trabalhadores.

* * *

O reacionário governo polonês está realizando ações contra a liberdade de expressão e o pluralismo democrático na Polônia. Depois das perseguições ao Partido Comunista da Polônia, que é legalmente registrado e que foi julgado pela popularização do comunismo, as repressões atingiram os editores do site comunista “Władza Rad” (www.1917.net.pl) e alguns dias depois a polícia invadiu uma conferência marxista organizada pelos pesquisadores da Universidade de Szczecin, no noroeste da Polônia.

Na segunda-feira, 30 de abril, a polícia entrou no apartamento de um dos editores do Władza Rad (“Poder Soviético”) e tomou seu computador, dois discos rígidos e um celular. Essa ação foi feita apesar do fato de que a popularização do comunismo na Polônia é legal e, portanto, tal ação foi completamente fora da lei. Foi outro ato ultrajante de repressão contra a oposição de esquerda.

A promoção do comunismo é, de acordo com a lei polonesa, legal. Ignorando esse fato, a promotoria está tentando acusar o ativista político por um crime não existente. O código penal polonês proíbe apenas propaganda “totalitária” e fascista. Entretanto, ele não proíbe o comunismo, o que foi confirmado pela decisão da Corte Constitucional em 2011.

Em janeiro desse ano, o Ministro do Interior, Sr. Brudzinski, negou a existência de uma ameaça neofascista na Polônia e tentou levantar o alarme de um suposto “perigo neocomunista” contra a democracia.

A seguir, os departamentos de polícia e a promotoria realizaram uma campanha agressiva contra os comunistas e toda oposição de esquerda na Polônia.

O Komunistyczna Partia Polski (KPP, Partido Comunista da Polônia) enfrentou uma feroz repressão. Os ativistas do KPP foram sentenciados de forma preliminar, mas eles recorreram e seu julgamento segue até o momento.

Mesmo o grupo socialdemocrata e agressivamente anticomunista Razem (“Juntos”, que se apresenta como uma versão polonesa do PODEMOS espanhol) enfrentou repressões – alguns membros das organizações de juventude pró-governo exigiram que ele fosse ilegalizado pela “promoção do comunismo”.

Enquanto mesmo a centro-direita dos políticos europeus, como Jean Claude Juncker, reconhece o papel de Karl Marx na história, a televisão pública polonesa recentemente exibiu um segmento sobre “as ideias assassinas de Karl Marx” (usando citações inventadas e atribuindo-as ao fundador do socialismo científico), e o governo polonês pune qualquer atividade de oposição de esquerda, enquanto manifestações neofascistas do ONR (“Campo Radical Nacional”, uma organização de extrema-direita que tomou seu nome de uma organização fascista e antissemita dos anos 1930) são protegidas pela polícia. O rumo do Estado para o autoritarismo envolve até a violação da autonomia universitária. No sábado, 12 de maio, a polícia entrou em uma conferência celebrando o ducentésimo aniversário do nascimento de Marx, desrespeitando a lei sobre a autonomia universitária.

Nós, os editores do site comunista polonês Władza Rad (“Poder Soviético”) sempre estivemos pela defesa incondicional da liberdade de expressão e outros direitos humanos garantidos pela Declaração das Nações Unidas. Opomo-nos a qualquer ato de violação dos direitos humanos. Chamamos pela solidariedade internacional contra a política do governo polonês. O Estado polonês viola as regras fundamentais da democracia e da liberdade de expressão.

O único objetivo do governo reacionário é destruir qualquer oposição de esquerda às ideias do partido burguês nacionalista PiS e garantir estabilidade para a ordem do capital, mantendo o sistema de exploração capitalista sobre a classe trabalhadora.

Defesa das leis democráticas para a classe trabalhadora e organizações políticas marxistas é agora absolutamente necessário!

Pedimos aos comunistas, socialistas e outros na esquerda para que expressem sua solidariedade contra a repressão do Estado sobre o movimento comunista na Polônia!

Apelamos pela organização de protestos nas embaixadas polonesas ao redor do globo, e pelo envio de cartas sobre as perseguições dos comunistas poloneses aos embaixadores.

Editores do Władza Rad (“Poder Soviético”)
15 de maio de 2018

Os comentários estão desativados.